Calendário de Vacinas 2018

Calendário de vacinação: a importância da prevenção de doenças para a saúde no Brasil





Criado pelo Ministério da Saúde (MS) em 1973, o Programa Nacional de Imunização (PNI) surgiu como uma importante ferramenta no combate à proliferação de diversas doenças por meio da promoção de ações de imunização em massa. Seu principal objetivo é a erradicação e a prevenção de surtos e epidemias por meio da vacinação. Por isso, campanhas foram projetadas e a partir daí o Calendário Nacional de Vacinação foi criado.

Calendário Vacinas 2018 - Côrtes Villela

Vacinas, uma história de sucesso e eficácia

A primeira campanha de vacinação no país ocorreu em 1804 para o combate da Varíola, doença hoje erradicada e sem nenhuma notificação de incidência desde o ano de 1971. Além dela, a Poliomielite (paralisia infantil)  e o Sarampo também são doenças com grande índice de imunização e baixa incidência. Resultados que mostram a grande eficiência do projeto de vacinação brasileiro.

Reconhecido mundialmente, o Calendário Básico de Vacinação brasileiro é hoje referência para diversos países. Desde que foi implementado em nosso sistema possibilita grandes feitos para a saúde de nossa população. A produção em massa de vacinas e a erradicação de diversas doenças faz do Brasil um dos agentes mais importantes no combate a surtos e epidemias no mundo.                   

Fornecidas pela Sistema Único de Saúde (SUS) e também em diversas clínicas particulares, as vacinas são produzidas a partir da inativação ou do enfraquecimento de vírus e bactérias. São rigorosamente fiscalizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e, a partir daí, distribuídas em postos de saúde e em centros de vacinações especializados.

Atualmente, são aplicadas 300 milhões de doses por ano. Além de fornecer cerca de 15 tipos de vacinas gratuitamente para a população, o Brasil produz ainda, doses para mais de 70 países.

Vacinação: Como funciona o processo de imunização

Saber sobre os riscos a saúde e estar prevenido contra diversas doenças infectocontagiosas é de extrema importância para a qualidade de vida da população. Para isso é preciso saber a diferença entre estar apenas vacinado e estar de fato imunizado.

O processo de imunização ocorre por meio de um planejamento implementado em todo o calendário de vacinas, desde a infância até a fase adulta. Todas elas possuem instruções de como e quando devem ser tomadas e muitas são divididas em doses fracionadas ao longo da vida e necessitam também das dosagens de reforço. Portanto, estar vacinado significa apenas que em determinado momento o paciente tomou a dose vacinal indicada, mas só estará imunizado quando seguir o cronograma completo de vacinação indicado no Calendário Nacional.

Calendário de vacinação 2018

Com um histórico de sucesso e eficácia no planejamento de vacinação do sistema de saúde brasileiro, todo ano o Ministério da Saúde (MS) divulga seu Calendário Nacional.

Desde 2014, o calendário brasileiro oferece 17 tipos de vacinas de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS), um número que abrange todas as dosagens indicadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Além disso, diversas outras vacinas são aplicadas nas redes privadas, como clínicas e laboratórios, que reforçam ainda mais o processo de imunização da população brasileira.

O Calendário de Vacinação 2018 foi divulgado em janeiro, e este ano teve algumas alterações, como a aplicação da vacina da febre amarela em crianças a partir dos 9 meses de idade. E também na vacinação contra a Varicela passando a incluir a  segunda dose para crianças de 4 e 6 anos de idade, prevenindo a ocorrência de surtos. Outra alteração é a vacina meningocócica C conjugada para adolescentes de 11 a 14 anos. Para este grupo será aplicado um reforço ou a dose única, conforme situação vacinal de cada um.

Seguir o calendário vacinal é de extrema importância para o cuidado com a saúde, por isso, fiquem sempre atentos a campanhas e as datas disponíveis para cada uma delas, para que crianças e adultos sejam imunizados, impossibilitando a ocorrência de surtos, epidemias e problemas mais graves decorrente de complicações geradas por essas infecções.

Vacinas disponíveis na rede pública e no Côrtes Villela

O Calendário Nacional exige uma cartela de vacinas a serem aplicadas em crianças, adolescentes, adultos, gestantes e idosos.  A maioria necessitam de mais de uma dose e também são necessárias doses de reforço. As vacinas fornecidas pelo SUS tem grande eficácia na prevenção de doenças, mas com o surgimento acelerado de novos vírus e bactérias que vêm gerando novos surtos e epidemias ao redor do mundo, laboratórios estão cada vez mais produzindo novas formas de imunização para serem oferecidas à população. Muitas vezes o processo de popularização de forma gratuita dessas vacinas se torna burocrático e com isso a demanda não é atendida pela governo, por isso, aliar as doses oferecidas gratuitamente em postos de saúde com as vacinas oferecidas em nossas clínicas, reforça a prevenção e aumenta as chances de imunização de todos os pacientes.

Abaixo temos todos os calendários disponíveis e também quais vacinas se encontram na rede pública e quais você pode tomar exclusivamente aqui no Côrtes Villela.

Calendário vacinas crianças

Calendário vacinas adolescentes

Calendário vacinas idosos

Vacinar é um ato de amor e cuidado. Por isso, além de oferecer o melhor em medicina laboratorial para Juiz de Fora e região há 90 anos, o Côrtes Villela agora oferece todas as vacinas disponíveis, tanto na rede pública quanto na particular. Nosso objetivo é cuidar de você paciente, buscando sempre o conforto e a qualidade dos nossos serviços.

cta vacinas cortes


WhatsApp chat