• Entre em contato (32) 3239-5000
  • Atendimento domiciliar (32) 3311-7770
  • Whatsapp (32) 98834-2423
Entre em contato (32) 3239-5000 facebook.com/cortesvillela

Dengue: Diagnóstico e Combate





Dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjoos, vômitos. Estes podem ser os sintomas de muitas patologias, não é mesmo? Mas são os principais sinais da dengue. A Organização Mundial da Saúde (OMS), estima que por ano, cerca de 50 a 100 milhões de pessoas vão se infectar por dengue em mais de 100 países de todos os continentes, exceto a Europa.

Devido aos sintomas da doença serem muito parecidos com os da pneumonia, meningite, viroses, e até infecção urinária, os erros ou dificuldade no diagnóstico de dengue, são comuns. No entanto, são erros que podem custar vidas! As falhas na identificação de dengue são uma das principais causas de morte pela doença no Brasil.

No caso de dengue hemorrágica, os sinais são os mesmos da dengue clássica, a diferença é que a febre diminui ou cessa após o terceiro ou quarto dia da doença e surgem hemorragias em função do sangramento de pequenos vasos na pele e nos órgãos internos. Quando acaba a febre, começam a surgir os sinais mais preocupantes de alerta.

 

 

O quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória. A baixa na circulação sanguínea pode levar a pessoa a um estado de choque. Embora a maioria dos pacientes com dengue não desenvolva choque, a síndrome de choque da dengue é seríssima e quando não tratada, pode levar a pessoa à morte em até 24 horas.

 

Como vimos, são muitos sintomas diferentes e o laudo errado, pode levar à morte ou complicações da doença! Por isso, o melhor é fazer um exame laboratorial e receber um diagnóstico 100% confiável.  Confira:

 

 

O exame de sangue para identificar a dengue leva poucos minutos para ser realizado e não possui contraindicações. Até mesmo mulheres grávidas podem fazer o teste. Não existe nenhuma recomendação especial após o exame. O paciente pode fazer suas atividades normalmente. O resultado do exame de sangue para dengue é obtido geralmente em dois dias úteis. Ele pode ser positivo ou negativo para o anticorpo IgM, indicando a presença ou ausência da doença. Caso o anticorpo IgG também tenha sido testado, é possível saber se a infecção é recente ou não.

 

No entanto, não espere os sintomas aparecerem para se preocupar com a dengue! Ela deve ser evitada o ano todo e no combate ao seu transmissor, o mosquito Aedes aegypti , algumas precauções são essenciais.

 

Dicas de prevenção:

 

1 – Não deixe acumular água em pratos de vasos de plantas e xaxins. Coloque areia fina até a borda do pratinho.

 

2 – Plantas que possam acumular água devem ser tratadas com água sanitária na proporção de uma colher de sopa para um litro de água, regando no mínimo, duas vezes por semana. Tire sempre a água acumulada nas folhas.

 

3 – Deixe sempre tampada e lave com bucha e sabão as paredes internas de caixas d’água, poços, cacimbas, tambores de água ou tonéis, cisternas, jarras e filtros

 

4 – Não junte vasilhas e utensílios que possam acumular água (tampinha de garrafa, casca de ovo, latinha, saquinho plástico de cigarro, embalagem plástica e de vidro, copo descartável etc.) e guarde as garrafas vazias de cabeça para baixo.

 

5 – Entregue pneus velhos ao serviço de limpeza urbana, mas caso precise mantê-los, guarde-os em local coberto.

 

6 – Deixe a tampa do vaso sanitário sempre fechada. Em banheiros pouco usados, dê descarga pelo menos uma vez por semana.

 

7 – Retire sempre a água acumulada da bandeja externa da geladeira e lave com água e sabão.

 

8 – Sempre que for trocar o garrafão de água mineral, lave bem o suporte no qual a água fica acumulada.

 

9 – Mantenha a água da piscina sempre tratada com cloro e limpe-a uma vez por semana. Se não for usá-la, evite cobrir com lonas ou plásticos.

 

10 – Conserve o quintal limpo, recolhendo o lixo e detritos em volta das casas, limpando os latões e mantendo as lixeiras tampadas. Não jogue lixo em terrenos baldios, construções e praças.

 

11 – Permita sempre o acesso do agente de controle de zoonoses em sua residência ou estabelecimento comercial.

 

12 – Utilize repelentes aprovados pela ANVISA , que possuem eficácia no combate e/ou no controle da população do mosquito Aedes aegypti.

 

Gostou das dicas? Então compartilhe essa publicação! No combate à dengue, juntos, nós somos muito mais fortes!