Férias escolares: hora de atualizar a carteirinha de vacinação dos seus filhos





O período de férias escolares chegou e com ele a atenção com a saúde deve ser redobrada. Para que as crianças possam aproveitar cada minuto é importante que a sua saúde esteja em dia e o cartão de vacinação também.

A vacinação em dia previne o corpo contra diversos tipos de infecções. Manter o seu calendário atualizado, ajuda a combater essas doenças que surgem de maneira inesperada. Por isso, o período de férias é uma ótima oportunidade de atualizar o cartão de vacinas e se prevenir.

Por ser um período em que as crianças frequentam lugares públicos e com grande circulação de pessoas, as férias acabam se tornando propícias para o surgimento de doenças infecto contagiosas, desde as mais comuns como a varicela (catapora) até as mais graves como a meningite B, um dos tipos mais comuns em crianças.  

Por que se vacinar?

A vacinação é o método mais seguro e eficaz na prevenção de doenças. Por terem um organismo ainda em desenvolvimento, as crianças não possuem anticorpos suficientes para combater um possível contágio. Por isso, manter o calendário de vacinas do seu pequeno e também de toda a família é de extrema importância para a saúde de todos.

Nos últimos anos o Brasil apresentou uma queda no número de crianças vacinadas, a consequência disso, foi a volta de doenças que até então eram consideradas erradicadas em nosso país, como o Sarampo e a Poliomielite (paralisia infantil). Segundo dados do Ministério da Saúde (MS) no último ano, a cobertura vacinal para a pólio, que deveria ser de 95%, ficou em apenas 77%. Assim como as taxas de outras oito vacinas para crianças menores de 1 ano no Brasil,  que também ficaram abaixo do esperado.

Essa queda pode ter sido motivada pela desvalorização das vacinas e também pela dificuldade dos pais em cumprir o calendário de doses, que, embora importante, é muito extenso. É preciso reforçar o alerta sobre a importância da vacinação, principalmente para crianças menores de 1 ano. Muitas doenças quando não prevenidas corretamente podem deixar várias sequelas e até mesmo levar à morte.

Manter o cartão de vacinas em dia é uma recomendação tanto dos órgãos públicos de saúde quanto também da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), que já divulgaram uma lista das principais vacinas a serem tomadas e que estão disponíveis tanto na rede pública quanto na rede privada.

Confira aqui: http://www.cortesvillela.com.br/noticias/imunologia/vacinacao-infantil-saiba-quais-vacinas-seu-filho-nao-pode-deixar-de-tomar.html

As doenças que mais preocupam

Para se prevenir é preciso estar atento ao possível contágio de algumas doenças. Muitas delas, têm sintomas brandos que podem ser facilmente confundido e que quando diagnosticadas já estão em seu estágio avançado ocasionando graves consequências. Separamos aqui as principais doenças que os pais e adultos devem ficar atentos com as crianças:

Poliomielite (paralisia infantil)

A pólio foi a primeira vacina a ter uma queda de imunizados registrada. Em 1994, o Brasil recebeu o certificado de erradicação. Por isso é fundamental a manutenção da cobertura vacinal, acima de 95%,entretanto no ano de 2017 seu índice chegou apenas a 77%. Seus principais sintomas são:

– fraqueza

– dores de cabeça

– náuseas

– febre alta

– perda de massa muscular ou tremor muscular

– cansaço extremo

O que ela pode causar?

– Complicações respiratórias

– Paralisia nos membros inferiores

– Em caso mais graves, levar o paciente a óbito

Como a vacina deve ser tomada?

– Em três doses, aos 2, 4 e 6 meses de vida. Há reforços aos 15 meses e aos 4 anos. Todas as crianças de até 5 anos devem estar vacinadas.

Adultos precisam tomar?

– Se já foram vacinados, não é necessário.

Sarampo

O sarampo é uma doença que voltou a assustar nos últimos anos. em 2018 já foram registrados mais de 500 casos da doença em todo o Brasil, e o seu número de cobertura vacinal atingiu somente 71%. Seus principais sintomas são:

– conjuntivite

– nariz escorrendo

– febre alta

– dores musculares

– manchas vermelhas na pele

O que ela pode causar?

– Comprometimento do sistema nervoso central

– Lesões nos olhos

– Complicações pulmonares

– Óbito

Como a vacina deve ser tomada?

– A primeira dose (tríplice viral) aos 12 meses de vida; a segunda (tetra viral), aos 15 meses.

Adultos precisam tomar?

– Sim. Quem não tomou as duas doses na infância deve tomá-las agora, com intervalo mínimo de um mês. Quem tem 49 anos ou mais não precisa.

Difteria

A difteria é uma doença que quando não tratada pode levar a sérias consequências. Ela ainda não é uma ameaça como as outras doenças citadas acima, mas sua vacinação também é muito importante. Seus sintomas são:

– falta de ar

– rouquidão

– calafrios

– inchaço dos gânglios

– erupções na pele

– febre alta

O que ela pode causar?

– Miocardite. Uma inflamação da camada muscular grossa da parede do coração, o que pode levar à morte.

Como a vacina deve ser tomada?

– A vacina pentavalente é dada em três doses, aos 2, 4 e 6 meses de vida. Há reforços aos 15 meses e aos 4 anos.

Adultos precisam tomar?

– Sim. Principalmente grávidas a partir da 20ª semana de gestação.

Coqueluche

A vacina para coqueluche é a mesma tomada para os casos de tétano e difteria. E deve ser tomada de acordo com as recomendações do calendário. Em crianças, seus sintomas se apresentam mais graves, podendo levar a morte. São eles:

– vômito

– apneia

– febre alta

– fadiga

– dificuldade em respirar

– tosse com catarro

O que ela pode causar?

– hemorragias

– complicações pulmonares

– desidratação

– sequelas neurológicas

Como a vacina deve ser tomada?

– Em três doses, aos 2, 4 e 6 meses de vida. Há reforços aos 15 meses e aos 4 anos.

Adultos devem se vacinar?

– Sim. Principalmente grávidas a partir da 20ª semana de gestação.

Outras doenças também se tornam mais frequentes nesta época do ano, como a dengue e a febre amarela, em decorrência do período de chuvas e da proliferação dos mosquito transmissor. E também doenças como a varicela (catapora), devido ao contato com outras crianças e adultos em ambientes com muita circulação de pessoas.

Essas doenças também possuem vacinas capazes de prevenir o seu surgimento, por isso, devem entrar no plano de vacinação de qualquer família.

Outros cuidados nas férias

Nas férias, vale ainda ter todos os tipos de cuidados com a saúde, como usar protetor solar e também manter uma alimentação balanceada, com atenção para alimentos frescos e comercializados na rua. Além disso, ter a higiene pessoal em dia é muito importante, como também evitar o contato com pessoas que se encontrem em suspeita de alguma doença infectocontagiosa.

Ambientes arejados e limpos também são medidas necessárias. Lavar os alimentos e higienizar as mãos, beber muita água e evitar a exposição das crianças em lugares com muita movimentação. Tudo isso ajuda na hora de prevenir.

Para quem quer viajar, outra medida muito importante e necessário é manter o seu certificado internacional de vacinação, atualizado. Em alguns países a vacina contra determinadas doenças é condição obrigatória para a sua viagem. Saiba mais em: http://www.cortesvillela.com.br/noticias/imunologia/certificado-internacional-de-vacinacao-saiba-como-tirar-o-seu.html

Já conhece o nosso serviço de vacinação domiciliar?

Para ter esse mais novo diferencial do Côrtes Villela até você é muito simples.

Como funciona?

– Confira as vacinas que faltam em seu calendário. Entre em contato pelo número (32)3239-5035 e marque com pelo menos um dia de antecedência.

Quando marcar?

– Nosso atendimento funciona de segunda à sexta das 9h às 17h. E aos sábados até às 12h.

Mais de uma pessoa pode ser vacinada?

– Sim. Basta escolher quais as vacinas, a hora e o local.

Como é a forma de pagamento?

Cada vacina tem o seu valor. Por isso, o orçamento irá de acordo com a quantidade que será escolhida. Temos ainda uma taxa de serviço que é cobrada pelo atendimento e não pelo número de pessoas que serão vacinadas. O pagamento pode ser feito com dinheiro ou cartão de crédito ou débito.


WhatsApp chat