Hemograma - Côrtes Villela capa

Hemograma Completo: Para que serve e qual a importância dos seus resultados para a saúde





O hemograma  é um dos exames com mais importância para a avaliação da saúde geral do paciente, não somente para o diagnóstico de doenças, mas também como um “avaliador de saúde” nos exames periódicos e no check-up.

A introdução do hemograma na prática médica ocorreu em 1925 por meio de critérios estabelecidos pelo médico e farmacêutico alemão V.Schilling. Seus valores de referência foram estabelecidos na década de 1960, baseado nos critérios de avaliação de saúde da população mundial e dos fatores que ocorrem em 95% das pessoas consideradas saudáveis. É importante saber que em 5% dos casos podem surgir alterações nos níveis dessas células, mas isso nem sempre significa que o paciente esteja doente.  

A contagem das células do sangue se modernizou nas últimas décadas com a sofisticação tecnológica laboratorial. Exames como hemoglobina/hematócrito (Hb/Ht), eritrograma, leucograma e contagem de plaquetas foram substituídos pelo hemograma completo automatizado com contagem diferencial de leucócitos em cinco tipos – neutrófilos, linfócitos, monócitos, eosinófilos e basófilos – sendo realizado em menos de um minuto em analisadores hematológicos automatizados.

Não obstante, toda a modernização do hemograma, erros pré-analíticos (coleta, identificação, preparo da amostra…) e analíticos podem ocorrer, exigindo controle contínuo de qualidade e atenção, além de qualificação e treinamento constante dos profissionais por meio de educação continuada.

Como é feita a coleta de sangue?  

Um profissional de saúde faz a coleta de amostras de sangue, que pode ser feita tanto em hospitais quanto em laboratórios especializados como o Côrtes Villela ou até a nível domiciliar.   

O paciente fica sentado e um elástico é amarrado em volta de seu braço interrompendo o fluxo sanguíneo e deixando as veias mais expostas, facilitando o acesso. A partir daí o local é esterilizado e a agulha com a seringa são injetadas para a coleta da amostra sanguínea. Um procedimento extremamente simples que traz um diagnóstico preciso para a avaliação da saúde do paciente.  

O que o hemograma avalia?

O hemograma é composto por três determinações básicas que incluem as avaliações dos eritrócitos (ou série vermelha), dos leucócitos (ou série branca) e das plaquetas (ou série plaquetária).

Glóbulos vermelhos:

São células que têm uma pigmentação vermelha em sua composição chamada de hemoglobina. Representam a maior parte da composição celular do sangue tendo como principal função transportar o oxigênio e o gás carbônico na corrente sanguínea. A etapa do exame que analisa os glóbulos vermelhos é a eritrograma, que se baseia nas seguintes características:  

  • Contagem das hemácias no sangue, os valores ficam entre 4 e 6,5 milhões de células/mm3;
  • Avaliação da quantidade de hemoglobina;
  • medição do volume das hemácias;  
  • medição do peso da hemoglobina;
  • avaliação da quantidade de hemoglobina presente.

Glóbulos brancos

São as células responsáveis pela defesa do organismo contra infecções causadas por vírus ou bactérias, alergias, resfriados, tornando-se parte importante do sistema imunológico. Existem tipos de glóbulos brancos: os neutrófilos, eosinófilos, basófilos, os linfócitos e os monócitos. Para esse exame o procedimento realizado é o leucograma que considera as seguintes opções:

  • Contagem total dos glóbulos brancos, que geralmente ficam entre 5.000 e 10.000 células/mm3;
  • Contagem total, que diferencia e determina a proporção de cada um dos 5 tipos encontrados no sangue.

Plaquetas

Células produzidas na medula óssea que participam do processo de coagulação do sangue e que ajudam a evitar hemorragias e outras complicações. Os valores normais variam entre 150 a 450 mil por microlitro, alterações acima desses valores podem causar problemas como trombocitose e abaixo trombocitopenia, que representam um grande risco ao paciente. Suas determinações são:

  • Contagem total;
  • Índice PDW, que avalia os tamanhos das plaquetas;
  • Índice MPV, que avalia o volume.

Quando fazer?

O hemograma geralmente é solicitado como um exame de rotina, mas em algumas situações pode ser utilizado para diagnosticar algumas condições que indiquem a presença de algumas doenças.  

  • Cansaço;
  • Fraqueza;
  • Sangramento intenso da pele, nariz ou gengivas;
  • Manchas roxas grandes ou em grande quantidade;
  • Infecções ou inflamações;
  • Anemia;
  • Doenças do sangue.

Pode ser indicado também para o acompanhamento de tratamentos médicos, das reações do organismo a medicamentos, pré cirurgias e pós-operatórios.  

Quem pode fazer o hemograma e como se preparar?

Qualquer pessoa em qualquer idade pode ter um hemograma solicitado por um médico. Geralmente não são exigidos nenhum preparo específico.

Hemograma - Côrtes Villela

O que alguns médicos indicam é que em um período de 48 horas o paciente não faça exercícios físicos e também não consuma bebidas alcoólicas, além de informarem caso usem algum tipo de medicamento. Mulheres grávidas ou em período menstrual também devem informar ao laboratório, pois essas condições podem alterar os valores do exame.

Por ser um processo simples e pouco invasivo para o organismo, assim como outros exames o hemograma não gera reações e assim não exige cuidados específicos após o seu procedimento, o que se indica é comer bem e beber muito líquido.  

Os laboratórios geralmente disponibilizam no relatório os valores considerados normais, para fins de comparação com o resultado. No Côrtes Villela é possível acessar o resultado dos seus exames por meio do aplicativo  e também no  site. Neles o paciente encontrará todas as informações necessárias que foram coletadas através deste e de diversos procedimento realizados.  


WhatsApp chat