Campanha de vacinação contra o sar

Campanha de vacinação contra o sarampo e a poliomielite





Começou em todo o Brasil, nesta segunda-feira,6, a Campanha Nacional de Vacinação Contra Poliomielite (paralisia infantil) e Sarampo. Devido a incidência do sarampo em algumas regiões do país e da queda no número de crianças imunizadas contra a pólio, o Ministério da Saúde (MS) recomenda que crianças de 1 a 5 anos recebam a dose das vacinas.

Independentemente de já terem sido imunizadas ou não, todas devem ser encaminhadas aos postos de saúde,com exceção daquelas que receberam a dose nos últimos 30 dias.

O Ministério da Saúde espera vacinar 11,2 milhões de crianças, atingindo uma meta de 95% desse público infantil. Em uma nota oficial o Ministro da saúde, Gilberto Occhi, ressaltou a importância de manter a vacinação em dia, principalmente devido a volta do sarampo e a ameaça da poliomielite.

“Às vezes enfrentamos uma situação como essa de baixa cobertura vacinal que nos traz um alerta, porque temos uma falsa impressão de que a doença foi eliminada do país. Mas é a cobertura vacinal elevada que faz a doença desaparecer. E é por isso que devemos continuar vacinando nossos filhos para manter essas doenças longe do Brasil”

Os principais objetivos da campanha este ano são:

→ Vacinar quem nunca foi vacinado

→ Completar o esquema de vacinação de quem não tomou todas as doses

→ Reforçar a imunização, mesmo de quem já tenha sido vacinado

A campanha será realizada durante todo o mês de agosto e no dia 18 acontecerá o dia D da mobilização, onde os mais de 36 mil postos de saúde do país estarão abertos oferecendo as vacinas à população.

Queda no número de vacinas

Uma das grandes preocupações do Ministério da Saúde é a volta de doenças já erradicadas no Brasil. Dados recentes mostram que houve uma queda no número de crianças e bebês vacinados, atingindo o menor número em 16 anos:

O número de crianças que receberam a dose contra a poliomielite está em 77% – uma queda de 7,5% em relação a 2016 e 21% em comparação a 2015, último ano em que o número ficou acima de 80%.

No caso da Tríplice viral, vacina que combate o sarampo, rubéola e a caxumba, a queda foi de 8%.

Desde que observou essa redução, o Ministério da Saúde vem alertando sobre o risco da volta dessas doenças, como é o caso do sarampo, que já tem surtos confirmados nos estados de Roraima e Amazonas. Além disso, o MS acredita que outros fatores podem influenciar o aumento da circulação dessas doenças, como:

– Falta de conhecimento sobre elas

– Mudança na rotina da população, o que gera horários incompatíveis

– Circulação de notícias falsas, principalmente em redes sociais

– Falta de incentivo e de campanhas de mobilização por parte dos estados e municípios

O Projeto Nacional de Imunização (PNI) foi criado em 1973 com o objetivo de atualizar e organizar o Calendário nacional de vacinação. Por isso, é de extrema importância que adultos e principalmente crianças estejam com o seu cartão em dia, evitando a proliferação e o surtos de diversas doenças no Brasil.

Quais são as vacinas oferecidas

Crianças que nunca foram imunizadas contra a pólio receberão a Vacina Inativada Poliomielite (VIP) na forma injetável. Crianças que já receberam uma ou mais doses receberão a Vacina Oral Poliomielite (VOP), na forma de gotinha.

Já no caso do sarampo, a vacina usada será a Tríplice Viral que protege também contra a rubéola e a caxumba. Todas as crianças na faixa etária estabelecida vão receber uma dose da vacina, independentemente de sua situação vacinal, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

É importante ressaltar que esta campanha está direcionada a crianças de 1 a 5 anos, por isso, adultos não estão incluídos no projeto de vacinação. Caso você não saiba a sua situação vacinal, procure o posto de saúde mais próximo para tomar as doses previstas para sua faixa etária.

Tire suas dúvidas sobre sarampo e poliomielite

De acordo com informações fornecidas pela Ministério da Saúde, algumas dúvidas podem ser esclarecidas antes da vacinação garantindo para todos um processo seguro e eficaz.

As vacinas são seguras?

Como em qualquer situação as vacinas têm seus riscos e seus benefícios. Não é possível garantir 100% de sua eficácia, mas hoje, a vacinação no Brasil é a forma mais segura e eficiente no combate a doenças.

Quando a vacina não será indicada?

Durante esta campanha, a vacina só é contraindicada para crianças que tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias. Se a criança estiver com febre, um médico deverá ser consultado antes da aplicação da vacina.

Qual o melhor período do dia para vacinar?

Do ponto de vista prático, o recomendado é pela manhã, pois, assim,  é possível ter o dia todo para observar qualquer reação na criança.

Elas causam reações?

Na maioria dos vacinados não. Entretanto algumas crianças podem apresentar irritação no local da aplicação (no caso da Tríplice Viral) e febre.

Precisa levar o cartão de vacinas?

A apresentação do cartão de vacinação é indispensável, por isso, esteja com ele em mãos, para que a situação vacinal da criança seja avaliada, facilitando a aplicação do esquema de acordo com suas necessidades.

Onde as vacinas podem ser encontradas?

Durante a campanha, as vacinas serão oferecidas gratuitamente pelo SUS. Mas é possível encontrá-las em nossa Clínica de vacinação, durante todo o ano.

A Clínica de Vacinação do Côrtes Villela apoia e a reforça a importância da campanha  nacional de vacinação contra a poliomielite e o sarampo. Acreditamos que a vacinação é a forma mais eficaz de prevenir doenças em qualquer idade.

Por isso, oferecemos essas e outras vacinas durante todo o ano, garantido a você a sua família a proteção necessária para uma ótima qualidade de vida.

cta vacinas Côrtes


WhatsApp chat