IST's mais comuns no Brasil

IST’s mais comuns no Brasil: Como se prevenir e quais exames fazer





Você sabe quais são os tipos de infecções Sexualmente Transmissíveis – IST’s mais comuns no brasil

 

Anteriormente conhecidas como Doenças Sexualmente Transmissíveis – DST, as IST’s costumam aparecer quando se tem relações sexuais sem camisinha, seja através do contato íntimo vaginal, anal ou oral.

 

Geralmente, essas infecções causam sintomas que afetam os órgãos genitais, como dor, vermelhidão, pequenas feridas, corrimento, inchaço, dificuldade para urinar ou dor durante o contato íntimo.

 

Bom, se você já teve ou tem algum desses sinais, pode ser que tenha sido contaminado por alguma IST. Mas como saber se realmente já teve ou tem alguma doença? Foi pensando nessa respostas que preparamos este artigo.

 

Confira!

 

Quais são os tipos de IST’s mais comuns no Brasil? 

 

Primeiramente, é importante entender que, segundo a Organização Mundial de Saúde cerca de 340 milhões de casos de IST’s ocorrem por ano no mundo.

 

No Brasil, o que colabora para esse aumento é a taxa de pessoas que não utilizam preservativos durante a relação sexual.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, 56,6% dos brasileiros entre 15 e 24 anos usam camisinha durante o ato sexual.

 

Ou seja, existe ainda uma parcela significativa de pessoas que não se protege, o que favorece o surgimento das infecções.

 

Mas quais são as IST’s mais comuns no Brasil? Descubra abaixo!

 

1.Clamídia

 

A clamídia é uma doença causada por uma bactéria. Inclusive, ela pode ser adquirida tanto por contato íntimo desprotegido ou através do compartilhamento de brinquedos sexuais, por exemplo.

 

Corrimento amarelado e espesso, vermelhidão nos órgãos genitais e dor na pélvis são alguns dos sintomas. 

 

Mas o que intriga é que muitas vezes a doença se manifesta de forma assintomática e passa despercebida, o que dificulta o diagnóstico.

 

Como é o tratamento: quando diagnosticada, a clamídia normalmente é tratada com antibióticos como Azitromicina ou Doxiciclina.

 

No entanto, a indicação dependerá do médico responsável, o urologista ou ginecologista. Por isso, para qualquer suspeita de IST é importante procurar ajuda com o especialista!

 

2.Gonorreia

 

Outra doença que integra a lista de IST’s mais comuns no Brasil é a gonorreia. Também causada por bactérias e com outras causas semelhantes à clamídia, ela pode provocar diversos sintomas, como:

 

– dor ao urinar;

– corrimento amarelado semelhante a pus;

– hemorragia vaginal fora da menstruação;

– dor abdominal;

– bolinhas vermelhas na boca.

 

Quando identificada, o tratamento é feito com o uso de Ceftriaxona e Azitromicina. 

 

É uma doença que atinge homens e mulheres. É importante que a medicação seja tomada, pois, do contrário, a gonorreia pode afetar as articulações e o sangue, causando risco à vida.

 

3.HPV

 

O vírus do papiloma humano (HPV) é responsável pelo crescimento de lesões na pele dos órgãos genitais de homens ou mulheres que podem ter textura suave ou rugosa.

 

Ele existe com mais de 200 variações e sua manifestação verrugosa pode aparecer no pênis, vulva, vagina, ânus, colo do útero, boca ou garganta. É extremamente contagioso.

 

O sexo sem proteção é a principal forma de transmissão do HPV, seja pelo coito ou pelo sexo oral.

 

A maior preocupação sobre o HPV está associada a alguns tipos do vírus que causam câncer, principalmente no colo do útero e no ânus, mas também na boca e na garganta, doença que vêm aumentando entre os jovens.

 

A boa notícia é que a maioria das pessoas que têm contato com o HPV não desenvolvem formas mais graves da doença, inclusive, o organismo de algumas elimina o vírus sem que a mesma tenha algum sintoma.

 

Apesar disso, tanto as verrugas genitais como o vírus do HPV não tem cura, uma vez que ele permanece adormecido no corpo.

 

Porém existe tratamento com a aplicação de pomadas, ácidos e outros procedimentos que são feitos nas verrugas. 

 

4.Herpes Genital

O herpes genital é outro vírus que merece atenção. A facilidade de contágio contribui para que ele apareça na nossa lista de IST’s mais comuns no Brasil.

 

Os sintomas são causados pelo vírus do herpes labial e provoca pequenas bolinhas vermelhas na pele muito próximas umas das outras, contendo um líquido rico em vírus.

 

De cor amarelada e com vermelhidão ao redor que causa coceira, ele afeta principalmente as coxas, ânus e órgãos genitais. 

 

Além disso, também é possível ter febre, dor ao urinar e corrimento, especialmente no caso das mulheres.

 

A infecção pelo vírus não tem cura e os sintomas podem demorar até 20 dias a desaparecer.

 

Remédios como Aciclovir, Valaciclovir ou Famciclovir costumam ser empregados no tratamento, ajudando a diminuir o desconforto causado pelos sintomas.

 

5. tricomoníase

 

A tricomoníase é causada por um parasita que causa sintomas como:

 

– corrimento acinzentado ou verde-amarelado e espumoso com mau cheiro forte e desagradável;

– vermelhidão;

– coceira intensa;

– inchaço dos órgãos genitais. 

 

Apesar de ser uma infecção pouco comum, ela atinge homens e mulheres e pode ser transmitida pelo compartilhamento de toalhas úmidas ou banho, por exemplo.

 

O tratamento é feito com um antibiótico da classe Metronidazol e dura entre 5 e 7 dias.

 

6.Sífilis

A sífilis também é uma das IST’s mais comuns no Brasil, tendo como primeiro sintoma uma ferida na região genital que não sangra e também não dói.

 

Quando tratada corretamente e de acordo com a orientação médica, tem cura. No entanto, sem tratamento, a doença pode evoluir.

 

Podemos classificá-la, de acordo com os sintomas em:

 

Sífilis primária: é o estágio inicial da doença e é caracterizado pela presença de pequenas feridas avermelhadas, denominadas cancro duro, nos órgãos genitais;

 

Sífilis secundária: que é caracterizada pela presença de manchas rosadas ou acastanhadas na pele, boca, nariz, palma das mãos e planta dos pés. Além disso, pode haver comprometimento dos órgãos internos devido ao espalhamento da bactéria;

 

Sífilis terciária ou neurossífilis: ocorre quando a sífilis secundária não é tratada corretamente, levando a lesões maiores na pele, boca e nariz.

 

Além disso, na sífilis terciária, a bactéria pode invadir o sistema nervoso central, atingindo as meninges e a medula espinhal e causando sintomas como perda da memória, depressão e paralisia, por exemplo. 

 

O tratamento é feito com remédios como Penicilina G ou eritromicina e, como falamos, quando feito corretamente existem chances de cura.

 

7.HIV/Aids

 

O vírus da imunodeficiência humana é o causador da Aids. É uma doença  que ataca o sistema imunológico, resultando no enfraquecimento considerável do sistema de defesa do humano.

 

No Brasil, apesar de a epidemia de HIV/Aids ser considerada estável, um índice vem chamando atenção: cada vez mais os mais jovens estão sendo acometidos pela doença.

 

Na última década, o índice de contágio mais que dobrou entre jovens de 15 a 19 anos, passando de 2,8 casos por 100 mil habitantes para 5,8 casos.

 

Também aumentou na faixa etária entre 20 a 24 anos, chegando a 21,8 casos a cada 100 mil habitantes.

 

A Aids provoca sintomas como:

 

– febre;

– suor;

– dor de cabeça;

– sensibilidade à luz;

– dor de garganta;

– vômitos;

– diarreia.

 

É uma doença que ainda não tem cura, mas tem tratamento para diminuir os sintomas e aumentar o tempo e qualidade de vida do infectado.

 

O tratamento é feito com medicamentos antirretrovirais, como Zidovudina ou Lamivudina, que tem a função de atacar o vírus e fortalecer o sistema imune.

 

Quais são as maneiras de se contrair uma IST?

 

Além de serem transmitidas pelo contato sexual, as IST’s também podem ser transmitidas:

 

– De mãe para filho através do sangue durante a gravidez, pela amamentação ou durante o parto;

– compartilhamento de seringas;

– compartilhamento de objetos pessoais, como toalhas;

– transfusão de sangue.

 

Como prevenir uma IST?

A melhor forma de prevenção é o uso da camisinha em todas as relações, além de evitar as outras formas de transmissão das doenças citadas no decorrer do texto. 

 

Como saber se tenho uma IST?

O diagnóstico de uma IST pode ser feito com base nos sintomas e na observação dos órgãos genitais pelo especialista responsável.

 

Ela pode ser confirmada através de exames, como o papanicolau, assim como testes de sangue, para verificar, exatamente, a causa da doença e indicar o tratamento mais adequado.

 

Onde realizar o exame em Juiz de Fora e região?

O laboratório Côrtes Villela oferece mais de 1000 exames capazes de identificar diversas doenças.

 

Por meio de um acompanhamento médico, os principais exames para diagnosticar uma IST, principalmente os laboratoriais podem ser feitos em nossas unidades em Juiz de Fora e região. Veja aqui nossa lista de exames.

 

Aqui você conta com um diagnóstico personalizado, preciso e eficiente. Um esquema completamente pensado em sua saúde e bem-estar. 

 

Não deixe sua saúde em segundo plano. Entre em contato ainda hoje e agende sua avaliação. 

 

Além do mais, para facilitar ainda mais sua vida nesse momento de pandemia, possibilitando que você continue se cuidando em casa, você pode optar pelo atendimento domiciliar.

 

Mais uma opção do laboratório referência em medicina laboratorial para você tratar as IST’s mais comuns no Brasil.


WhatsApp chat