doenças mais comuns no outono

Quais são as doenças mais comuns no outono e como evitá-las?





Você sabe quais são as doenças mais comuns no outono e como evitá-las? Além do coronavírus, que tem preocupado a população de uma maneira geral, principalmente por conta de não haver ainda uma vacina ou tratamento específico, esta época do ano também é caracterizada pelo aumento de doenças respiratórias.

Quer saber quais são essas patologias e por qual motivo você deve ficar atento à presença delas?

Então continue a leitura!

Por que nesta época do ano há um aumento de doenças respiratórias?

Existem vários fatores relacionados a essa crescente, mas um dos principais é a mudança de temperatura, sobretudo, a chegada do frio, que é um irritante natural das vias aéreas.

Além disso, este também é um período marcado pela redução da umidade relativa do ar e pela inversão térmica, responsável pelo acúmulo maior de poluentes na atmosfera.

Por conta do clima mais frio, as pessoas tende a se concentrar mais tempo em locais fechados e pouco arejados, elevando também o uso de casacos e cobertores, que por ficarem guardados no armário por longos períodos, acumulam poeira. 

Quais são as doenças mais comuns no outono e como evitá-las?

Rinite

A rinite é uma inflamação do nariz e estruturas adjacentes ocasionada pela exposição aos agentes alérgenos caracterizada por obstrução nasal, coriza, espirros, irritação dos olhos e coceira no nariz e na garganta. 

Bronquite

A bronquite é uma inflamação dos brônquios –  os dutos que levam ar aos pulmões , podendo ser ocasionada por infecções, agentes irritantes e alergia. 

Os sintomas costumam ser: 

  • falta de ar; 
  • chiado no peito;
  • dor no peito; 
  • tosse seca;
  • febre.

Pessoas com outras doenças respiratórias ou cardíacas têm mais facilidade para desenvolver quadros de bronquite. Por se tratar de uma doença que causa complicações a curto prazo, é importante ficar atento aos sintomas e fazer acompanhamento médico.

Sinusite

É uma inflamação das mucosas da face, localizadas na região ao redor do nariz – também  conhecidas como as maçãs do rosto – e na região dos olhos.

Os principais são: dor de cabeça, especialmente nos seios da face, congestão nasal, coriza, tosse e em alguns casos febre e indisposição.

Asma

A presença de inflamação e obstrução das vias aéreas é conhecida como asma. Geralmente, ela se manifesta, principalmente, pela tosse, falta de ar, chiado no peito, dor ou aperto no peito.

A asma ocorre quando os pequenos dutos pulmonares, os bronquíolos, são estreitados por um processo inflamatório, o que dificulta a respiração.

Bronquiolite

Essa é uma doença muito comum em bebês e em crianças pequenas. A partir dos 6 meses de vida, a criança já pode começar a desenvolver a doença.

Ela ocorre quando os bronquíolos inflamam, causando tosse, chiado no peito, falta de ar, cansaço. 

O tratamento para a maioria das alergias, como a asma, rinite, bronquite e sinusite deve ser focado no controle dos agentes alérgenos no ambiente que as pessoas frequentam, e no uso de remédios para controlar os sintomas.

Resfriado

É uma infecção viral que afeta nosso sistema respiratório, podendo ser causada por vários vírus. Os sintomas do resfriado são semelhantes aos da gripe, mas podem surgir de uma forma mais leve. 

A pessoa com resfriado pode apresentar, coriza, dor de garganta, tosse, congestionamento nasal, dores no corpo ou leve dor de cabeça, espirros, febre baixa e mal-estar.

Geralmente, a maioria das pessoas infectadas levam de 7 a 10 dias para se recuperar.

Gripe

Assim como o resfriado, a gripe é causada por um vírus (influenza). A transmissão do vírus influenza acontece através do contato com secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada quando ela fala, tosse ou espirra. Mãos e objetos contaminados também são fontes de transmissão. 

Os sintomas são mais intensos, podendo ocorrer: 

  • tosse; 
  • dor na garganta; 
  • febre;
  • indisposição; 
  • dores nas articulações, cabeça e músculo. 

As pessoas costumam levar de 7 a 10 dias para se livrar da doença. É preciso ficar atento, pois a gripe pode levar a complicações mais graves, como a pneumonia. 

Campanha de vacinação contra a gripe 2020

Todos os anos, é necessário se vacinar contra a gripe, principalmente as pessoas do grupo prioritário. Neste ano, ele é composto por:

  • Idosos com mais de 60 anos
  • Adultos com 55 a 59 anos
  • Crianças de 6 meses a 6 anos incompletos (5 anos, 11 meses e 29 dias)
  • Gestantes
  • Puérperas (mulheres que tiveram um filho nos últimos 45 dias)
  • Trabalhadores da área de saúde
  • Professores de escolas públicas e privadas
  • Povos indígenas
  • Portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas
  • Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estão sob medidas socioeducativas
  • População privada de liberdade
  • Funcionários do sistema prisional
  • Profissionais de forças de segurança e salvamento (policiais e bombeiros, por exemplo)

A vacina contra a gripe é trivalente e protege contra os três vírus que mais circularam no hemisfério sul em 2019: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2). Na rede particular, também é possível obter a versão tetra, que protege contra mais um tipo B da gripe. 

No entanto, mesmo que você não faça parte do grupo de risco, pode se vacinar, até porque, a vacinação traz benefícios para todo mundo. 

O laboratório Côrtes Villela oferece a vacina contra a gripe, e o melhor, por conta da epidemia do coronavírus e da necessidade de cumprir as medidas de quarentena para o bem de todos, nós levamos a vacina até você

Agende aqui o seu horário!

Pneumonia

A pneumonia é uma infecção no pulmão causada por vírus ou bactéria, que pode ser desencadeada pela gripe ou de um resfriado mal curado.

Os sinais e sintomas podem variar, mas se manifestam pela dor no peito ao respirar ou tossir, tosse com catarro, fadiga, febre, transpiração e calafrios com tremor, náusea e dificuldade para respirar.

Idosos estão mais propensos a ter a doença, que se não for tratada, pode levar à morte.

As vacinas contra a pneumonia são a pneumo 13 e a pneumocócica 23. Elas são recomendadas a pessoas em alto risco, como idosos acima de 60 anos, pacientes com HIV, oncológicos, transplantados, asmáticos.

Cabe ressaltar que as vacinas são extremamente importantes em época de epidemia do coronavírus. Elas não previnem a Covid-19, mas impedem que as pessoas fiquem doentes por duas doenças ao mesmo tempo, o que deixaria o sistema imunológico sobrecarregado.

Doenças mais comuns no outono e como evitá-las: você sabe o que fazer?

A adoção de hábitos simples pode ajudar a prevenir as doenças mais comuns desta época do ano. Por isso, previna-se.

É essencial manter os cômodos, as roupas de cama, os tapetes e os carpetes livres da poeira para evitar a proliferação dos agentes infecciosos que causam diversos problemas respiratórios.

Além disso, você também deve:

  • lavar as mãos várias vezes ao dia;
  • cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal;
  • evitar locais com aglomeração de pessoas;
  • não fumar;
  • usar umidificador de ar quando o tempo estiver muito seco;
  • higienizar os brinquedos das crianças frequentemente;
  • ter uma alimentação equilibrada, consumindo frutas, verduras e legumes típicos da estação ;
  • manter sempre a casa arejada e ensolarada;
  • evitar ter animais de pêlo como cão e gato, sobretudo, circulando dentro de casa;

Ficou com alguma dúvida sobre as doenças mais comuns no outono e como evitá-las? Deixe sua mensagem! Saiba mais sobre saúde e prevenção em nosso blog.


WhatsApp chat