Homem consciente cuida da saúde.





#NovembroAzul

 

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens. De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), o Brasil contabilizou 65.840 novos casos de câncer de próstata em 2020, correspondendo a 29,2% dos tumores incidentes no sexo masculino. Mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. Quando diagnosticado precocemente, há 90% de chances de cura.

 

Quais são os sintomas do Câncer de Próstata?

O câncer de próstata geralmente surge como uma doença silenciosa e indolor. Além disso, muitas vezes os sintomas podem ser confundidos ou atribuídos a outras doenças. Os sinais são frequentemente detectados pela primeira vez durante exames de rotina.

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura.

  • dor óssea;
  • dores ao urinar;
  • vontade de urinar com frequência;
  • presença de sangue na urina e/ou no sêmen.

 

Além disso, alguns fatores de risco podem colaborar com a doença:

  • histórico familiar de câncer de próstata: pai, irmão e tio;
  • raça: homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer;
  • obesidade.


Como prevenir? 

Segundo o Ministério da Saúde, a única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). 

 

Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

 

 Segundo o  infográfico disponibilizado pelo INCA, a doença pode estar relacionada com as condições de trabalho. 

 

 

 

Confira todas as informações no infográfico: 

https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//inca-info-prostata.pdf

 

Quebrar tabus é salvar vidas.


Ir ao urologista regularmente é o caminho para a detecção precoce. A recomendação médica é que se façam exames de PSA e toque retal a partir dos 50 anos. Para pessoas com parentes próximos que tiveram a doença mais jovens, os exames podem começar um pouco antes. Por isso, cuidar do seu corpo deve ser prioridade. 

 

Fontes: Ministério da Saúde; INCA – Instituto Nacional do Câncer; ONG OncoGuia